Na última reunião do Comitê de Política Monetária (COPOM), o Banco Central anunciou mais um corte na taxa básica de juros (Selic) para o menor patamar da história, 5,5% e, em sua última ata, avaliou que há espaço para mais ajustes, ressaltando que “dados sugerem possibilidade de retomada do processo de recuperação da economia brasileira, que tinha sido interrompido nos últimos trimestres”.

Em um cenário de juros baixos, o retorno de diversos investimentos, principalmente de renda fixa, tendem a ser menores também.

Isso se dá pois os investimentos em fundos de renda fixa pós-fixados são atrelados à taxa Selic. Seus rendimentos acompanham esta taxa, tanto para cima como para baixo.

Mas engana-se quem investe em um fundo de Renda Fixa de algum banco irá ter como rendimento a taxa Selic. O que acontece é que os bancos não exibem para seus clientes a rentabilidade descontando as taxas de administração, passando a falsa impressão de um rendimento equiparável à taxa Selic, porém esta não é a verdade.

Já os investimentos em títulos atrelados à Selic no Tesouro Direto não possuem taxas de administração, garantindo ao menos a Selic como rendimento.

É importante lembrar que, independente de investir em fundos através de bancos ou comprando títulos diretamente no Tesouro Direto, haverá a incidência de IR sobre os juros.

A alíquota do IR é regressiva, ou seja, quanto mais tempo o dinheiro permanecer investido, menor será o IR. Atualmente esta alíquota é de 22,5% sobre o lucro obtido em aplicações de até 180 dias; de 20% em aplicações de 181 a 360 dias; de 17,5% em aplicações de 361 a 720 dias; e de 15% em aplicações acima de 720 dias.

Sendo assim, investir diante deste cenário de juros baixos, com a cobrança de IR e possíveis taxas de administração, faz com que o dinheiro investido mal supere a inflação. Por isso, muitos investidores começaram a procurar outras opções para rentabilizar seu capital.

Mas como buscar melhor rentabilidade através do empreendedorismo?

Um dos caminhos que podem ser explorados na busca de uma melhor rentabilidade para o seu dinheiro acumulado ao longo dos anos é o investimento através do empreendedorismo.

Através do empreendedorismo é possível criar um negócio a partir do zero, ou comprar um negócio já existente.

A busca por negócios a venda no Brasil – em diversas áreas, de variados tamanhos, desde simples negócios a grandes empresas – tem crescido substancialmente nos últimos anos.

Há diversos motivos para empresários venderem suas empresas, dentre eles a chegada da aposentadoria, desgaste mental e físico, valorização expressiva da empresa, problemas financeiros, entre outros.

Ao se cogitar em adquirir uma empresa, este é apenas um dos pontos a ser observado. Além disso, deve-se fazer um estudo minucioso da área ou ramo de atuação da empresa, seus históricos de receitas e despesas, se há dívidas ou processos trabalhistas, concorrência, etc…

Porém, fazendo este estudo, é possível encontrar negócios lucrativos, com uma carteira de clientes consolidada, funcionários que conhecem bem o negócio, fazendo com que este investimento gere uma rentabilidade bem mais atraente que os investimentos atuais, com grandes possibilidades de crescimento.

Ao decidir comprar um negócio já existente o ideal é procurar por uma área ou ramo de atividade o qual você detenha um conhecimento prévio, podendo contar com sua experiência para gerenciar o negócio. Porém também é possível ampliar seus horizontes adquirindo um negócio no qual você não detém o conhecimento prévio, mas possa negociar a transferência do conhecimento necessário com os atuais proprietários, o famoso “know-how”.

Este também é o caso das franquias, onde os franqueadores são os responsáveis por passar todo o conhecimento necessário para se conduzir o negócio.

É interessante também procurar por negócios à venda de forma parcial. Desta forma você se torna sócio da empresa, ajudando a administrá-la, mas pode contar com a experiência dos proprietários atuais e podendo colaborar com novas ideias.

Empresas à procura de investidores: as startups

Diversos empresários também buscam crescer suas empresas através do aporte de recursos de terceiros, em troca de parte dos lucros.

Nesta modalidade, o investidor não participa da administração da empresa, porém pode colaborar com suas ideias e experiência.

Muitas destas empresas são conhecidas por Startups. São empresas com ideias inovadoras, que procuram resolver problemas já conhecidos em determinadas áreas ou ramos de atividade.

O investidor que investe em startups é conhecido como investidor anjo.

Este tipo de investimento pode trazer altos retornos, no caso do crescimento exponencial da startup. Mas vale aqui relembrar que quanto maior o retorno, maior o risco. Nesta modalidade recomenda-se alocar uma parte menor do seu capital e diversificar o seu portfólio, minimizando o risco uma perda substancial.

Conclusão

Com as taxas de juros no patamar mais baixo da história, temos de explorar novas oportunidades para rentabilizar nosso dinheiro, mesmo que para isso tenhamos de sair da nossa zona de conforto.

Leave a Reply